sábado, 20 de setembro de 2014

ACERCA DA FELICIDADE

"...As pessoas tendem a pensar que a felicidade é um golpe de sorte, algo que talvez desça sobre nós como o bom tempo se formos suficientemente afortunados. Mas não é assim que a felicidade funciona. A felicidade é a consequência do esforço pessoal. Lutamos por ela, procuramo-la arduamente, insistimos nela e às vezes até viajamos pelo mundo fora à sua procura. Temos que participar infatigavelmente nas manifestações das nossas próprias bênçãos. E quando atingimos um estado de felicidade, nunca devemos descurar a sua manutenção, temos de fazer um esforço supremo para continuar a nadar eternamente na sua direção, para ficarmos a flutuar sobre ela.
Se não o fizermos, o nosso contento inato ir-se-á esvaindo. É fácil rezar quando estamos aflitos, mas continuar a rezar mesmo depois da crise ter passado é como um processo de confirmação que ajuda a nossa alma a agarrar-se firmemente aos seus feitos.
...Toda a dor e problemas deste mundo são provocados por pessoas infelizes. Não só a nível global, num cenário tipo Hitler e Estaline, mas também a nível pessoal. Até mesmo na minha vida, consigo ver exatamente os pontos em que os meus episódios de infelicidade trouxeram sofrimento ou angústia ou (no mínimo) inconveniência àqueles que me rodeiam. Portanto, a busca do contentamento não é apenas um ato de preservação pessoal que beneficia quem o pratica, mas também uma generosa dádiva para o mundo. Eliminar toda a nossa infelicidade faz com que não nos atravessemos no nosso caminho. Deixamos de ser um obstáculo, não só para nós próprios como para os outros. Só nessa altura somos livres para servir e desfrutar da companhia das outras pessoas" Elizabeth Gilbert in Comer, Orar, Amar

Meditar e/ou rezar; aceitar os momentos difíceis com alguma  leveza; perdoar aos outros e a nós mesmos; acreditar nas nossas capacidades e no nosso real direito à felicidade são elementos essenciais, de facto absolutamente imprescindíveis para alcançarmos a paz interior e, portanto, a felicidade 

1 comentário:

  1. Olá, Teresa. Sabe, eu acho que a felicidade não depende de uma busca, de uma viagem árdua... ela é simplesmente ser. Aceitar nossas possibilidades e harmonizar-se com elas, amar o que temos, sonhar sonhos possíveis, jamais invejar os bens de outras pessoas (trabalhar por eles, se os desejarmos). Sobretudo, a simplicidade nos traz a felicidade.
    Bom dia pra você, e bom fim de semana!

    ResponderEliminar

Os seu comentários, sugestões, pedidos de partilha, etc. são, para além de muito bem-vindos, essenciais para que seja possível atingir os objetivos para os quais este blog foi criado.