sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

PAPA JOÃO XXIII

Na crónica anterior, relativa à partida de Nelson Mandela, fiz, a dada altura, referência a outros Grandes Homens e Mulheres, já desparecidos, na seguinte passagem
 
"Pergunto-me, se Lá existe um Conselho de Sábios? Constituído por homens e mulheres enormes, Martin Luther King, Mahatma Gandhi, Papa João XXIII ou Madre Teresa de Calcutá…e agora Madiba.
Este será, certamente, um Conselho sem disputas, sem guerras, sem competitividade, sem mal-entendidos, lobbies ou grupos dissidentes. Porque neste Conselho todos falam a mesma língua, todos usam a mesma linguagem, todos se regem pelos mesmos valores, todos têm objetivos semelhantes
Espero que de Lá nos observem com benevolência e nos ajudem a trilhar os nossos caminhos, seguindo as suas pegadas da Verdade, Coragem, Liberdade, Tolerância, Perdão, Entrega, Persistência e Fé na humanidade."
 
De todos os que referi, o menos falado e menos conhecido é o Papa João XXIII.
O Papa João XXIII era um  homem extardinário e um excelente ser humano,  foi, seguramente, o melhor Papa que tivemos até hoje (esperemos que a expetativas que depositamos no Papa Francisco venham a fazer dele outro dos melhores Papas) e, certamente, foi, de todos eles, o mais "revolucionário", corajoso, liberal e de vistas largas.
No entanto, parece ter havido, desde sempre, uma certa "conspiração do silêncio" e pouco se fala dele.
Pelo que quero aqui relembrar a sua vida, obra e exemplo, aproveitando o tema "Grandes Homens" e o inevitável encontro destes dois Grandes Homens, que, seguramente, terão o resto da eternidade para, em conjunto e sabiamente, de Lá, encaminharem a Humanidade.

Papa João XXIII

Origem: Wikipédia

Beato João XXIII, O.F.S.
261º Papa
Beato João XXIII
OBŒDIENTIA ET PAX
Brazão do pontificado de João XXIII
Nome de nascimento
Angelo Giuseppe Roncalli
Nascimento
Sotto il Monte, Itália,
25 de Novembro de 1881
Eleição
28 de Outubro de 1958
Entronização
4 de Novembro de 1958
Fim do pontificado
3 de Junho de 1963 (4 anos)
Morte
3 de junho de 1963 (81 anos)
Antecessor
Pio XII
Sucessor
Paulo VI



Beato João XXIII
Monumento ao Papa João XXIII,
em Porto Viro (Rovigo, Itália)

O Papa da Bondade
Veneração por
Igreja Católica
Beatificação
3 de Setembro de 2000, Praça de São Pedro por Papa João Paulo II
Festa litúrgica
11 de Outubro
Padroeiro
Delegados pontifícios
O Beato Papa João XXIII, OFS, nascido Angelo Giuseppe Roncalli (Sotto Il Monte, 25 de Novembro de 1881 — Vaticano, 3 de Junho de 1963) foi Papa de 28 de outubro de 1958 até à data da sua morte. Pertencia à Ordem Franciscana Secular (OFS) e escolheu como lema papal: Obediência e Paz.
Sendo um sacerdote católico desde 1904, ele iniciou a sua vida sacerdotal em Itália, onde foi secretário particular do bispo de Bérgamo D. Giacomo Radini-Tedeschi (1905-1914), professor do Seminário de Bérgamo e estudioso da vida e obra de São Carlos Borromeu, capelão militar do Exército italiano durante a Primeira Guerra Mundial e presidente italiano do "Conselho das Obras Pontifícias para a Propagação da Fé" (1921-1925). Em 1925, sendo já um arcebispo-titular, iniciou-se a sua longa carreira diplomática, onde o levou à Bulgária como visitador apostólico (1925-1935), à Grécia e Turquia como delegado apostólico (1935-1944) e à França como núncio apostólico (1944-1953). Em todos estes países, ele destacou-se pela sua enorme capacidade conciliadora, pela sua maneira simples e sincera de diálogo, pelo seu empenho ecuménico e pela sua bondade corajosa em salvar judeus durante a Segunda Guerra Mundial. Em 1953, foi nomeado cardeal e Patriarca de Veneza.
Foi eleito Papa no dia 28 de Outubro de 1958. Considerado inicialmente um Papa de transição, depois do longo pontificado de Pio XII, ele convocou, para surpresa de muitos, o Concílio Vaticano II, que visava à renovação da Igreja e à formulação de uma nova forma de explicar pastoralmente a doutrina católica ao mundo moderno. No seu curto pontificado de cinco anos escreveu oito encíclicas, sendo as principais a Mater et Magistra (Mãe e Mestra) e a Pacem in Terris (Paz na Terra).
Devido à sua bondade, simpatia, sorriso, jovialidade e simplicidade, João XXIII era aclamado e elogiado mundialmente como o "Papa bom" ou o "Papa da bondade". Mas, mesmo assim, vários grupos minoritários de católicos tradicionalistas acusavam-no de ser maçom, radical esquerdista e herege modernista por ter convocado o Concílio Vaticano II e promovido a liberdade religiosa e o ecumenismo Ele foi declarado Beato pelo Papa João Paulo II no dia 3 de Setembro de 2000 É considerado o patrono dos delegados pontifícios e a sua festa litúrgica é celebrada no dia 11 de Outubro.






 










 UBUNTU - “Eu sou porque nós somos”

Sem comentários:

Enviar um comentário

Os seu comentários, sugestões, pedidos de partilha, etc. são, para além de muito bem-vindos, essenciais para que seja possível atingir os objetivos para os quais este blog foi criado.